Saiba como agir

Publicado em 11-08-2009

Auto-protecção e Prevenção

O que se pode fazer face a uma situação de emergência?

•    É natural que face a uma situação de risco ou emergência, pode ter a sensação de medo e insegurança. Por isso, pare por uns instantes para recuperar a calma necessária que lhe permita adoptar as decisões mais aconselhadas e oportunas;
•    A serenidade e a reflexão são os melhores aliados para enfrentar uma situação que implique algum tipo de ameaça ou perigo. Assim, a tranquilidade favorece a segurança das pessoas que estão ao seu redor.
•    A utilização simultânea e de forma massiva do telefone, produz o bloqueio das linhas telefónicas. Nestes casos, pode-se colaborar usando o telefone unicamente em caso de extrema necessidade.
Algumas medidas de Prevenção
•    Dispor de uma rádio, uma lanterna a pilhas e de um cantil;
•    Ter localizado os documentos mais relevantes;
•    Ter em mãos o número de telefone da Policia, Bombeiros, Hospitais e Centros de Saúde e da Protecção Civil;
•    Lembrar que propagar rumores e informações exageradas, incompletas ou enganosas, não ajudam, e podem confundir e alarmar a outros possíveis afectados e prejudicar a eficaz resolução da emergência.

Encarregado de Educação

O Encarregado de educação deve conhecer:

•    O horário escolar do seu educando;
•    Os percursos que utiliza para a escola;
•    Os nomes e contactos dos colegas e amigos mais próximos;
•    Os locais onde costuma brincar.


A criança está em segurança:

•    Não aceitando boleias de desconhecidos;
•    Não mostrando que traz dinheiro ou outros valores, como MP3, telemóveis, games…;
•    Não aceitando guloseimas, dinheiro ou outras ofertas de desconhecidos;
•    Não alterando os percursos de ida para a escola e de regresso a casa;
•    Não brincando em zonas desertas ou com pouco movimento Informando os pais sobre qualquer contacto ou acontecimento estranho;
•    Pedindo ajuda de imediato em caso de necessidade.

Segurança nas Escolas

Todas as escolas devem ter um plano de emergência, e realizar exercícios com frequência.

•    Todas as escolas devem ser inspeccionadas e devem ser definidas áreas de abrigo pelas pessoas competentes. As caves oferecem, geralmente, a melhor protecção;
•    Os responsáveis pela activação do plano de emergência devem acompanhar a informação relativa ao estado do tempo;
•    Deve ter sempre à mão um megafone ou corneta de ar comprimido para activar o alarme, mesmo se o sistema de alarme da escola for eléctrico, pois pode dar-se o caso de falha de electricidade;
•    Tomar as precauções adequadas para alunos com deficiências físicas;
•    Assegurar a responsabilidade de desligar o gás e electricidade em caso de emergência;
•    Manter as crianças na escola fora das horas regulares em caso de aproximação de um ciclone;
•    Almoços, ou reuniões, em salas grandes devem ser adiados em caso de aproximação de um ciclone;

Espectáculos Públicos

Recomendações para a assistência a espectáculos públicos

Conselhos:

•    Não levar para o recinto objectos que possam afectar a segurança dos outros espectadores;
•    Seguir as instruções dadas por megafone e serviços de ordem;
•    Manter sempre a calma;
•    Antes de ocupar o seu lugar, informe-se onde estão as saídas, especialmente das de emergência;
•    Não correr;
•    Ao entrar e sair, não se parar nas portas ou locais de acesso aos lugares de assistência;
•    Levar crianças pelo colo ou pela mão;
•    Antes de entrar no recinto, no caso de ir acompanhado de outras pessoas, tome um ponto de referência no exterior, para que caso se percam se possam voltar a encontrar;
•    Permanecer nos locais até ao término do acto;
•    Manter-se sereno e tranquilo em qualquer emergência.
•    Solicitar ajuda dos serviços de ordem antes de qualquer emergência pessoal ou colectiva que possa ocorrer.


Lembre-se:

•    Que esta terminantemente proibido de se situar sobre as varandas, tal como a outros locais não destinados a esses fins;
•    Para evitar acidentes, abandonar o recinto de forma ordenada, respeitando a ordem de saída;
•    Uma acção incivilizada pode provocar uma catástrofe;
•    Antes do espectáculo está a sua segurança e a dos outros espectadores;
•    Que da sua conduta serena, na maioria dos casos, pode depender a solução do problema;


Solicita:

•    A colaboração de todos os espectadores em caso de qualquer acidente;
•    Não atrapalhar os movimentos dos serviços de segurança;


Na assistência a espectáculos desportivos ou de multidão:

•    Siga as instruções das autoridades;
•    Ao entrar ou sair não se coloque nas portas, podem partir-se e provocar riscos graves;
•    Em caso de risco de emergência, não perca a calma e abandone o recinto rapidamente mas sem correr, siga as ordens do megafone e dos serviços de segurança;
•    Se for acompanhado de outras pessoas, especialmente crianças, não se separe deles.
•    Não entre com objectos como garrafas, paus, bengalas, etc, que podem por em risco a sua vida e a dos que o rodeiam;
•    Em caso de desacatos tente afastar-se e avisar as forças de segurança.


Na prática desportiva:

•    Siga sempre as instruções das forças de segurança, em especial, quando se tratar de práticas desportivas, sobretudo em determinados desportos que possam causar riscos às pessoas, como o automobilismo, a náutica, a caça, etc.
•    Pratique desporto nos locais apropriados para o efeito, onde em caso de necessidade possa ser auxiliado por outros desportistas e especialmente não pratique desporto em locais abertos ao trânsito de veículos;
•    Conheça e siga as normas da federação desportista, relacionada com o desporto que pratica;
•    Não inicie ou reinicie uma prática desportiva sem consultar previamente o médico, e marque uma consulta periódica com o seu médico;
•    Conheça as mínimas regras de primeiros socorros;
•    Não tente ultrapassar os seus limites;
•    Tenha cuidado com a intensidade do sol, pois podem provocar tonturas, paragem de digestão, etc.

Cheias e Inundações

Habitualmente é possível prever uma cheia através dos níveis de água, das observações meteorológicas.
No entanto, uma cheia provocada por chuvas intensas e repentinas, dificilmente permitirá que as populações sejam avisadas.
Para diminuir sofrimentos e prejuízos, cada cidadão em zona de risco de cheia deve ter conhecimento das seguintes medidas de autoprotecção e procedimentos de segurança.


Se vive numa zona de cheia:

•    Adquira o bom hábito de escutar os noticiários da Meteorologia de Julho a Outubro;
•    Procure informar-se sobre o historial de cheias passadas;
•    Identifique pontos altos onde se possa refugiar e que estejam o mais perto possível de casa ou do emprego;
•    Elabore uma pequena lista dos objectos importantes que deve levar consigo numa possível evacuação;
•    Pondere a hipótese de fazer um seguro da sua casa e do recheio;
•    Arranje um anteparo de madeira ou metal para a porta da rua.
•    Tenha sempre em casa uma reserva para dois ou três dias de água potável e alimentos que não se estraguem.
•    Mantenha a limpeza dos arredores da sua casa.


Junte num estojo de emergência o seguinte material:

•    1 Rádio transístor e pilhas de reserva;
•    1 Lanterna e pilhas de reserva;
•    Velas e fósforos ou isqueiro;
•    Medicamentos essenciais para toda a família;
•    Agasalhos, reserva de roupa e objectos;
•    Artigos especiais e alimentos para bebés;
•    Fotocópias de um documento de identificação para cada membro da família;
•    Fotocópias de outros documentos importantes.


Quando houver uma cheia:

•    Mantenha-se atento aos noticiários da Meteorologia e às indicações da Protecção Civil transmitidas pela rádio e televisão;
•    Conserve a calma. Transmita calma à sua volta;
•    Acondicione num saco de plástico os objectos pessoais mais importantes e os seus documentos;
•    Coloque à mão o seu estojo de emergência.
•    Transfira os alimentos e os objectos de valor para pontos mais altos da casa.
•    Liberte os animais domésticos e proceda à evacuação do gado para locais seguros.
•    Coloque um anteparo à entrada da casa. Retire do seu quintal objectos que possam ser arrastados pelas cheias.
•    Prepare-se para desligar a água, o gás e a electricidade, se for caso disso.

Durante uma cheia

•    MANTENHA A SERENIDADE. Procure dar apoio às crianças, aos idosos e aos deficientes;
•    Continue atento aos conselhos da Protecção Civil;
•    Prepare-se para a necessidade de ter de abandonar a casa;
•    Desligue a água, o gás e a electricidade;
•    Não ocupe as linhas telefónicas. Use o telefone só em caso de emergência;
•    Não caminhe descalço nem saia de casa para visitar os locais mais atingidos;
•    Não utilize o carro. Pode ser arrastado para buracos no pavimento, para caixas de esgoto abertas, ou até para fora da estrada;
•    Não entre em zonas caudalosas. Há o risco de não conseguir suportar a força da corrente, além de que pode ocorrer uma subida inesperada do nível da água;
•    A água da cheia pode estar contaminada com substâncias indesejáveis. Não a beba;
•    Procure ter sempre uma atitude prática perante os acontecimentos.


Se for evacuado

•    Mantenha a calma e respeite as orientações que lhe forem transmitidas pela Protecção Civil;
•    Não seja alarmista;
•    Não perca tempo;
•    Leve consigo uma mochila com os seus pertences indispensáveis, o estojo de emergência e uma garrafa de água e bolachas;
•    Esteja atento a quem o rodeia. Podem precisar da sua ajuda.


Depois da cheia

•    Siga os conselhos da Protecção Civil. Regresse a casa só depois de lhe ser dada essa indicação;
•    Preste atenção às indicações difundidas pela comunicação social;
•    Facilite o trabalho das equipas de remoção e limpeza da via pública;
•    Ao entrar em casa, faça uma inspecção que lhe permita verificar se a casa ameaça ruir. Se tal for provável, NÃO ENTRE;
•    Não pise nem mexa em cabos eléctricos caídos. Não se esqueça de que a água é condutora de electricidade;
•    Mantenha-se sempre calçado e, se possível, use luvas de protecção;
•    Opte pelo seguro. Deite fora a comida (mesmo embalada) e os medicamentos que estiveram em contacto com a água da cheia, pois podem estar contaminados;
•    Verifique o estado das substâncias inflamáveis ou tóxicas que possa ter em casa;
•    Comece a limpeza da casa pela dispensa e zonas mais altas;
•    Beba sempre água fervida ou engarrafada.

Sismos

Antes:

•    Informe-se sobre as causas e efeitos possíveis de um sismo na sua zona. Fale sobre o assunto de uma forma tranquila e serena com os seus familiares e amigos.


Informe-se se a sua residência e local de trabalho se localizam numa zona sísmica de risco.

Se viver junto ao litoral informe-se sobre a que altitude se situa relativamente ao nível do mar, pode ser importante em caso de ocorrência de tsunami;

•    Elabore um plano de emergência para a sua família. Certifique-se que todos os seus familiares sabem o que fazer no caso de ocorrer um sismo. Combine previamente um local de reunião no caso dos membros da família se separarem durante o sismo;
•    Prepare a sua casa de forma a facilitar os movimentos em caso se sismo, libertando os corredores e passagens, arrumando móveis e brinquedos, etc.
•    Tenha à mão uma lanterna, um rádio portátil e pilhas de reserva para ambos, bem como um extintor (verifique o prazo de validade) e um estojo de primeiros socorros;
•    Localizar os locais mais seguros distribuindo os seus familiares por eles. Localizar os locais mais perigosos;
•    Fixe as estantes, as botijas de gás, os vasos e floreiras às paredes da sua casa;
•    Coloque os objectos pesados ou de grande volume no chão ou nas estantes mais baixas;
•    Ensine a todos os familiares como desligar e electricidade e cortar a água e gás;
•    Armazene água em recipientes de plástico fechados e alimentos enlatados para 2 ou 3 dias;
•    Renove-os de tempos a tempos. Tenha à mão medicamentos correntes mais necessários;
•    Mantenha a sua vacinação e de toda a sua família em dia;
•    Consulte o seu centro de saúde para obter mais informações;
•    Tenha à mão em local acessível números de telefone de serviços de emergência;
•    Tenha à mão agasalhos e sapatos resistentes.


Locais mais seguros:

•    Vão de portas interiores, de preferência em paredes-mestras;
•    Cantos das salas;
•    Debaixo de mesas, camas e outras superfícies estáveis;
•    Longe das janelas, espelhos e chaminés;
•    Fora do alcance de objectos, candeeiros e móveis que possam cair.


Locais mais perigosos:

•    Saídas;
•    Junto a janelas, espelhos;
•    Junto a objectos, candeeiros e móveis que possam cair;
•    No meio das salas;
•    Elevadores.


Durante o Sismo:

EVITE O PÂNICO. MANTENHA A SERENIDADE E ACALME AS OUTRAS PESSOAS

Se está dentro de casa ou dentro de um edifício:

•    Se estiver num dos andares superiores de um edifício não se precipite para as escadas. Abrigue-se no vão de uma porta interior, nos cantos das salas ou debaixo de uma mesa ou cama;
•    Mantenha-se afastado de janelas, espelhos. Tenha cuidado com a queda de candeeiros, móveis ou outros objectos;
•    Se estiver no rés-do-chão de um edifício e a sua rua for suficientemente larga (por exemplo mais larga que a altura dos edifícios), saia de casa calmamente e caminhe para um local aberto, sempre pelo meio da rua;
•    Vá contando alto e devagar até 50.


Se está na rua:

•    Dirija-se para um local aberto, com calma e serenidade. Não corra nem ande a vaguear pelas ruas;
•    Enquanto durar o sismo não vá para casa;
•    Mantenha-se afastado dos edifícios, sobretudo dos velhos, altos ou isolados, dos postes de electricidade e outros objectos que lhe possam cair em cima;
•    Afaste-se de taludes e muros que possam desabar;
•    Vá contando alto e devagar até 50.


Se está num local com grande concentração de pessoas:

(Escola, sala de espectáculos, edifício de escritórios, fábrica, loja, etc.)

•    Não se precipite para as saídas. As escadas e portas são pontos que facilmente se enchem de escombros e podem ficar obstruídos por pessoas tentando deixar o edifício;
•    Nas fábricas mantenha-se afastado das máquinas, que podem tombar ou deslizar;
•    Fique dentro do edifício até o sismo cessar. Saia depois com calma tendo em atenção as paredes, chaminés, fios eléctricos, candeeiros e outros objectos que possam cair.


Se está a conduzir:

•    Pare a viatura longe de edifícios, muros, taludes, postos e cabos de alta tensão e permaneça dentro dela.



Depois do Sismo


Nos primeiros minutos após o sismo:

•    Mantenha a CALMA e conte com a ocorrência de possíveis réplicas;
•    Não se precipite para as escadas ou saídas. Nunca utilize elevadores;
•    Não fume, nem acenda fósforos ou isqueiros. Pode haver fugas de gás ou curto-circuitos. Utilize lanternas a pilhas;
•    Corte a água, o gás e a electricidade;
•    Calce sapatos e proteja a cabeça e a cara com um casaco, uma manta, um capacete ou um objecto resistente e prepare agasalhos se o tempo o aconselhar;
•    Verifique se há feridos e preste os primeiros socorros se souber. Se houver feridos graves, não os remova, a menos que corram perigo;
•    Verifique se há incêndios. Tente apagá-los. Se não conseguir alerte os bombeiros;
•    Ligue o rádio e cumpra as recomendações que forem difundidas;
•    Limpe urgentemente os produtos inflamáveis que tenham sido derramados (álcool, tintas, etc.);
•    Se puder, solte os animais domésticos.


Se está junto ao litoral:

•    Se vive junto ao litoral e sentir um sismo é possível que nos 20 a 30 minutos seguintes ocorra um tsunami (Maremoto – Onda gigante);
•    Em caso de suspeita ou aviso de tsunami desloque-se de imediato para uma zona alta, pelo menos 30 metros acima do nível do mar, e afastada da costa;
•    Afaste-se das praias e das margens dos rios. Nunca vá para uma praia observar um tsunami aproximar-se. Se conseguir ver a onda significa que está demasiado perto para poder escapar;
•    Se estiver numa embarcação dirija-se para alto mar. Um tsunami só é destrutivo junto à costa onde a profundidade das águas é pequena. Uma zona onde a profundidade do mar é superior a 150 metros pode considerar-se segura;
•    À primeira onda podem suceder-se outras igualmente destrutivas. Mantenha-se num local seguro até que as autoridades indiquem que já não existe perigo;
•    Regresse a casa só quando as autoridades o aconselharem.


Nas horas seguintes:

•    Mantenha a calma e cumpra as instruções que a rádio difundir. Esteja preparado para outros abalos (réplicas) que costumam suceder-se ao sismo principal;
•    Se encontrar feridos graves, chame as equipas de socorro para promover a sua evacuação;
•    Se houver pessoas soterradas, informe as equipas de salvamento. Entretanto, se sem perigo, for capaz de as começar a libertar, tente fazê-lo retirando os escombros um a um. Não se precipite, não agrave a situação dos feridos ou a sua própria;
•    Evite passar por onde haja fios eléctricos soltos e tocar em objectos metálicos em contacto com eles;
•    Não beba água de recipientes abertos sem antes a ter examinado e filtrado por coador, filtro ou simples pano lavado;
•    Coma alguma coisa. Sentir-se-á melhor e mais capaz de ajudar os outros;
•    Acalme as crianças e os idosos. São os que mais sofrem com o medo;
•    Não utilize o telefone excepto em caso de extrema urgência (feridos graves, fugas de gás, incêndios, etc.);
•    Não propague boatos ou notícias não confirmadas;
•    Se a sua casa se encontrar muito danificada terá de a abandonar. Reúna os recipientes com água, alimentos e medicamentos vulgares e especiais (cardíacos, diabéticos, etc.);
•    Não reocupe edifícios com grandes estragos, nem se aproxime de estruturas danificadas;
•    Corresponda aos apelos que forem divulgados e, se possível, colabore com as equipas de socorro;
•    Não circule pelas ruas para observar o que aconteceu. Liberta-as para as viaturas de socorro.

Tsunamis

A palavra “tsunami” é de origem japonesa e significa “grandes ondas nos portos”, assinala-se o grande fenómeno das grandes ondas que normalmente se propagam pelos oceanos, sendo produzidas muitas vezes por fenómenos sísmicos.
Historicamente, o maior tsunami de que se tem notícias é o provocado pela erupção do vulcão Krakatua, em que a onda produzida alcançou uma altura média de 42 m.
As recomendações seguintes pretendem diminuir os danos que este fenómeno natural pode causar.

a)    Se vive na costa e sente um terramoto suficientemente forte para gretar paredes, é possível que dentro dos vinte minutos seguintes possa produzir-se um maremoto ou tsunami.
b)    Se for alertado pela proximidade de um tsunami, desloque-se para uma zona alta de pelo menos 30 metros sobre o nível do mar em terreno natural.
c)    Grande parte dos tsunamis se apresenta, primeiro como um recuo do mar que deixa em seco grandes extensões do fundo marinho. Corra e abrigue-se numa zona elevada, pois o tsunami chegara com uma velocidade de mais de 100 km/h.
d)    Se estiver dentro de uma embarcação, dirija-se rapidamente mar a dentro. Um tsunami apenas é destrutivo apenas na zona da costa. É originado a uns 5.600 metros da costa, sobre uma profundidade maior de 150 metros, podendo considerar-se seguro.
e)    Tenha sempre presente que um tsunami pode penetrar por rios, zonas húmidas e penetrar por vários quilómetros terra adentro, logo afaste-se destas zonas.
f)    Um tsunami pode ter 10 ou mais ondas destrutivas em 12 horas, por isso deve ter por perto roupa de abrigo, especialmente para as crianças.
g)    Mantenha informada a sua família sobre o ponto de encontro posterior.
h)    Tente ter um rádio portátil, que o permita estar informado e pilhas de reserva.

Erupção Vulcânicas

Como actuar:

Se em relação aos tremores de terra a capacidade de os prever é diminuta, no caso das erupções vulcânicas os indícios da sua ocorrência são substancialmente maiores.
A avaliar pelo que se tem passado, as erupções são precedidas por uma fase sísmica que, se em certos casos duram algumas horas a dias.

Mas outros indícios complementam a fase sísmica propriamente dita, tais como:

•    Aparecimento de vibrações mais ou menos continua a que se dá o nome de tremor vulcânico;
•    Variações de inclinação de superfície;
•    Variações rápidas da força da gravidade;
•    Variações das temperaturas nas lagoas e em terra;


Sendo todas elas registadas em aparelhos apropriados.


O que fazer antes:

•    Manter em reserva e em condições de permanente utilização o seguinte material:
  • 1 Rádio portátil e pilhas de reserva;
  • 1 Lanterna e pilhas de reserva;
  • Velas e fósforos ou isqueiro;
  • Medicamentos essenciais para toda a família;
  • Agasalhos, reserva de roupa e objectos;
  • Artigos especiais e alimentação para bebés;
  • Água e alimentos para um período de 48 a 72 horas;
  • 1 Documento de identificação para cada membro da família;
  • 1 Lençol para chamar à atenção dos meios aéreos de evacuação.

 

•    Elaborar uma lista de objectos de valor que cada elemento da família deve levar consigo em caso de evacuação;
•    Identificar os caminhos para rapidamente atingir a costa, evitando o percurso através dos vales (sempre perigosos pelo deslocamento de lava);
•    Identificar os caminhos para se atingir um local elevado e bem visível para ser possível efectuar o salvamento através de helicópteros.


O que fazer durante:

•    Manter-se serena e transmitir serenidade aos outros;
•    Manter-se informado através do rádio portátil;
•    Não prestar atenção a rumores e boatos alarmistas nem colaborar na sua difusão;
•    Seguir com exactidão as directivas transmitidas pelas autoridades;
•    Preparar-se para a eventual necessidade de evacuação;
•    Não visitar os locais atingidos.


O que esperar dos Serviços de Protecção Civil:

Na fase antes:
1.    O alerta, quanto à possibilidade de ocorrência e em que zona;
2.    Outras indicações apropriadas.
Na fase durante:
1.    Instruções sobre a evacuação das pessoas (por mar ou pelo ar);
2.    A organização da transferência dos animais;
3.    A mobilização e coordenação dos meios disponíveis e necessários ao Socorro.

Ciclones e Chuvas intensas

O que se pode fazer antes do aparecimento de um ciclone:

•    Desenvolva um plano de emergência, para si e para a sua família, considerando várias situações (em casa, na rua, no trabalho, na escola) e prevendo os vários locais de abrigo possíveis;
•    Conheça bem a zona que habita e adquira um mapa da região, de modo a poder acompanhar a evolução de um ciclone pelos boletins meteorológicos;
•    Esteja atento à rádio e televisão, de modo a estar actualizado sobre a informação deste tipo;
•    Se planear um passeio para fora da sua região, informe-se sobre as previsões meteorológicas e tome as medidas necessárias caso o tempo seja ameaçador;
•    Realize exercícios sempre que possível.


Em caso de evacuação:
Abandone a sua residência sempre que tal seja aconselhado.

•    Abandone as zonas de baixa altitude, durante o dia se possível. Certifique-se de que fecha a água e o gás, que desliga a electricidade e que fecha convenientemente a casa;
•    Tape as janelas com tábuas ou persianas resistentes, e calce as portas de vidro de modo a evitar ao máximo o seu arrasto;
•    Recolha de frente de sua casa todos os objectos que possam ser arremessados pelo vento e amarre em sítio seguro os demasiado grandes ou pesados;
•    Não permaneça em casas móveis (ou pré-fabricadas) mas certifique-se de que as deixa o mais seguro possível;
•    Certifique-se de que o seu automóvel tem combustível suficiente. Conduza cautelosamente usando as rotas de evacuação oficiais;
•    Se estiver num barco abandone-o depois de se certificar de que o deixa seguro.

Não regresse a casa sem que as autoridades competentes indiquem o fim do perigo.

Durante a aproximação de um ciclone

Siga todas as recomendações das autoridades competentes. Não propague rumores ou informações exageradas sobre a situação.

•    Se a sua casa é segura e situada em altitude, mantenha-se em casa. Abandone zonas de baixa altitude, com risco de inundação;
•    Abandone casas móveis (ou pré-fabricadas) e dirija-se para um abrigo mais substancial;
•    Coloque faixas cruzadas (em forma de X) de fita adesiva nas janelas para evitar o arremesso de estilhaços, e abra uma janela do lado oposto à direcção do vento, para equilibrar pressões;
•    Não abra as cortinas, estas servem de protecção contra estilhaços;
•    Coloque tábuas, ou persianas resistentes, em janelas grandes;
Armazene alguma água para consumo, e para fins sanitários, nas banheiras, jarros, garrafas ou outros depósitos;•    Regule o frigorífico no nível máximo de refrigeração e abra-o apenas quando necessário;
•    Feche todos os depósitos de gás;
•    Desligue todos os aparelhos dispensáveis e mantenha ligado o rádio a pilhas de modo a receber informação e instruções das autoridades competentes;
•    Recolha de frente de sua casa todos os objectos que possam ser arremessados pelo vento e amarre em sítio seguro os demasiado grandes ou pesados;
•    Tenha sempre à mão roupa impermeável;
•    Cubra com material impermeável todos os objectos que se possam danificar em contacto com a água;
•    Certifique-se de que o seu automóvel tem combustível suficiente e que tem a bateria em bom estado.


Durante o Ciclone:

•    Mantenha-se em casa, no piso mais inferior e na divisão interior, e afastado das janelas;
•    Feche todas as portas interiores e reforce as exteriores;
Se o vento acalmar, não saia de casa, é provavelmente a passagem do “olho” (centro) do furacão, ventos fortes podem voltar a qualquer momento;
•    Vigie constantemente o nível de cheia perto de sua casa;
•    No caso do vento se tornar mais violento coloque-se debaixo de uma peça de mobiliário resistente ou de um colchão;
•    Se for surpreendido na rua, afaste-se de árvores, postes ou muros, e proteja a cabeça.


Depois do Ciclone:

Siga todas as recomendações das autoridades competentes. Não propague rumores ou informações exageradas sobre a situação.

•    Se há feridos, reporte-os imediatamente aos serviços de emergência;
•    Certifique-se de que os seus alimentos estão em condições e não coma nada cru ou de origem duvidosa;
•    Beba a água potável que armazenou ou ferva a que vai beber;
•    Limpe cuidadosamente qualquer derrame de substâncias médicas, tóxicas ou inflamáveis;
•    Inspeccione a sua casa para verificar que não há perigo de colapso;
•    Permaneça em sua casa, caso esta não tenha sofrido danos;
•    Mantenha desligados o gás, água e electricidade até estar seguro de que não há fugas nem perigo de curto-circuito;
•    Certifique-se de que os seus aparelhos eléctricos estão secos antes de os ligar;
•    Use o telefone unicamente para reportar emergências;
•    Se tiver que sair evite tocar ou pisar postes ou cabos eléctricos;
•    Colabore com os seus vizinhos na reparação dos danos;
•    Em caso de necessidade, solicite a assistência das brigadas de salvamento ou das autoridades mais próximas.

Incêndios

•    Se notar indícios de incêndio (fumo, cheiro a queimado, estalidos, etc.), aproxime-se a uma distância segura para ver o que está queimando e a extensão do fogo.
•    Dê o alarme pelo meio disponível aos responsáveis pela administração do prédio e/ou telefone aos Bombeiros - Telefone 131.
•    Se não souber combater o fogo, ou não puder dominá-lo, saia do local, fechando todas as portas e janelas atrás de si, mas sem trancá-las, desligando a electricidade e alertando os demais ocupantes do andar.
•    Não perca tempo tentando salvar objectos, salve sua vida.
•    Mantenha-se vestido, pois a roupa protege o corpo contra o calor e a desidratação.
•    Procure alcançar o andar térreo usando a escada sem correr, jamais use o elevador, pois a energia é normalmente cortada, e poderá ficar parado, sem contar que existe o risco dele abrir justamente no andar em chamas.
•    Procure ter sempre a mão o telefone dos Bombeiros
•    Evite abrir qualquer porta em que esteja saindo fumo pelas frestas e/ou a maçaneta se encontre quente;
•    Ao ser surpreendido pelo fumo procure uma saída mantendo-se baixo sob o fumo e com um lenço sobre as vias respiratórias;
•    Se presenciar alguém com as roupas em chamas, derrube-a e role-a, se possível abafando-a com um cobertor;
•    Se localizar alguém no meio do fumo arraste para um local ventilado e procure reanimá-lo por meio de ventilação ou respiração boca-a-boca.
•    Num incêndio em edifício evite subir, procure sempre descer;  
•    Num incêndio em edifício vá pelos elevadores, desça pela escada - sempre pelo lado direito;  
•    Caso não consiga sair do local tente ir para a janela chamar a atenção para o resgate;  
•    Lembre-se que nos cantos extremos inferiores das salas há ainda quantidades residuais de ar no caso de um incêndio;  
•    Se tiver que atravessar pequenas extensões de fogo, molhe totalmente as suas roupas ou proteja-se com um cobertor molhado;  
•    Se tiver um saco plástico transparente de tamanho de 50 cm a 1 metro, obtenha ar fresco não contaminado pelo fumo e tente escapar agachado, pois terá uma reserva de ar satisfatória durante alguns minutos;  
•    Procure evitar a propagação do incêndio, evitando abrir janelas desnecessariamente;  
•    No trânsito dê passagem ao socorro do Corpo de Bombeiros;  
•    Informe aos bombeiros a existência de outras vítimas e a sua localização, especialmente se forem portadoras de deficiências físicas.


Se ficar encurralado:

•    Se não puder sair, mantenha-se próximo de uma janela de preferência com vista para a rua e sinalize a sua posição.
•    Feche, mas não tranque a porta do quarto ou onde estiver. Vede as frestas com um cobertor ou tapete para não deixar entrar fumo.
•    Em caso de fumo, mantenha-se junto ao chão e utilize um lenço ou toalha molhada sobre o nariz e boca (filtro), deixe-a escapar abrindo uma janela (ou quebrando o vidro, se ela for fixa).
•    Atire pela janela o que puder queimar facilmente (papéis, tapetes, cortinazita.), mas com cuidado para não magoar quem estiver na rua.


SAIBA COMO FAZER

QUE FAZER EM CASO DE INCÊNDIO EM EDIFÍCIOS OU EM SUA CASA


PRINCIPAIS CAUSAS DOS INCÊNDIOS EM EDIFÍCIOS E EM HABITAÇÃO

Os incêndios em edifícios e habitações são normalmente provocados por falta de cuidado.
A maior parte desses fogos poderiam ser evitados. As causas mais vulgares são: o cozinhar, o fumar, o aquecimento, as velas, os candeeiros, as brincadeiras de crianças, a actuação dos idosos e a falta de cuidado com as chamas.
A maior parte das vítimas dos incêndios não morre das queimaduras, mas de asfixia devida aos gases tóxicos e fumos respirados. Frequentemente as vítimas nem chegam a ver as chamas.

PROCEDIMENTO DE EMERGÊNCIA
Se lhe cheirar a fumo, ver chamas ou ouvir o crepitar do fogo, procure evitar o pânico e seguir as seguintes recomendações:

1.    Avise todas as pessoas da casa e chame os bombeiros, caso os houver no seu concelho e a Polícia da Ordem Pública;
2.    Faça sair toda a gente, ajudando as pessoas que precisarem de si, particularmente os velhos e as crianças;
3.    Não perca tempo a salvar objectos ou vestuários;
4.    Se está num compartimento com a porta fechada:

 

a.    Apalpe a porta antes de a abrir. Nunca abra uma porta se ela estiver quente;
b.    Se o fumo estiver a entrar por baixo da porta, mantenha-a fachada e procure calafetá-la com toalhas molhadas;
c.    Abra a janela para sair, pedir socorro ou respirar;
d.    Se não vir fumo a sair por baixo da porta e a parte superior não estiver quente, abra a porta lentamente.

 

5.    Se houver fumo, proteja a boca com um pano húmido e respire através dele;
6.    Mantenha-se e desloque-se tão perto do solo quanto possível, pois aí o ar é mais respirável;
7.    Nunca utilize os elevadores. Utilize sim as escadas;
8.    Feche as portas atrás de si quando sair. Isso demorará o avançar do fogo;
9.    Se estiver num edifício muito alto:

 

a)    Se o fogo não for no seu andar, estará normalmente em segurança;
b)    Se o átrio estiver cheio de fumo, feche todas as portas entre si e o fogo e procure calafetá-las com toalhas molhadas;
c)    Chame os bombeiros imediatamente e a Policia de Ordem Publica ou quem possa ajudar.


SAIBA COMO EXTINGUIR PEQUENOS INCÊNDIOS


Se o incêndio estiver no início e se tiver os conhecimentos e os meios adequados, tente extingui-lo. Mas antes mande sair todas as pessoas e chamar os bombeiros ou quem possa ajudar.
Pense na melhor forma de actuar, de acordo com as circunstâncias e os seguintes princípios gerais:

•    Se o fogo na instalação eléctrica ou em aparelhos eléctricos, desligue a electricidade antes de fazer qualquer outra coisa. Se por qualquer motivo não puder desligar a electricidade, não use água para extinguir o fogo, mas sim um extintor apropriado, ou abafe as chamas com um cobertor, terra ou areia;
•    Feche imediatamente o gás;
•    Feche as portas e janelas para evitar que as chamas aumentem devido às correntes de ar, e se propaguem a outras dependências;
•    Mantenha-se entre o fogo e a porta de saída para ter sempre a possibilidade de escapar;
•    Afaste para lugar seguro quaisquer recipientes com produtos inflamáveis e objectos facilmente combustíveis;
•    Se tratar de um objecto a arder, coloque-o na pia ou na sanita;
•    Se for um liquido que estiver a arder, não tente removê-lo: tape o recipiente em que ele se encontrar e afaste os móveis;
•    Se o fogo se verificar numa frigideira, tape-a com a tampa ou deite óleo frio. Não deite água sobre óleo ou outro tipo de gorduras em chamas;
•    Lance água com força sobre a base das chamas e também à sua volta para impedir a propagação do fogo;
•    Actue sobre o objecto que arde e não as chamas: Com um extintor, com água, cobrindo-o com um pano molhado ou batendo-lhe com um pano ou uma vassoura;
•    Se o fogo se verificar no chão, extinga-o completamente perto de si antes de avançar;
•    Se o fogo sobe por uma parede, ataque-o primeiramente na base;
•    Se tiver fogo no vestuário, não respire e não corra: Cubra-se com um cobertor e rebole-se no chão.

E se apesar das acções que tomou o fogo aumentar, tenha cuidado em sair a tempo e não arriscar a sua vida.
E lembre-se: Siga as recomendações adequadas para evitar os incêndios na sua casa. Em caso de dúvida sobre qualquer dos procedimentos a adoptar, peça conselho a que o possa dar.

Ondas de Calor

Em dias de muito calor

•    Ingira água ou outros líquidos não açucarados com regularidade, mesmo que não sinta sede. Pessoas que sofram de epilepsia, doenças cardíacas, renais ou de fígado ou que tenham problemas de retenção de líquidos devem consultar um médico antes de aumentarem o consumo de líquidos;
•    Se tem idosos em casa incentive-os a beber pelo menos mais um litro de água por dia para além da que bebem normalmente. Eles vão rejeitar mas deve insistir;
•    Procure manter-se dentro de casa ou em locais frescos;
•    Em casa, durante o dia, abra as janelas e mantenha as persianas fechadas, de modo a permitir a circulação de ar;
•    Durante a noite, abra bem as janelas para que o ar circule e a casa arrefeça;
•    Evite sair à rua nas horas de maior calor, mas se tiver de o fazer, proteja-se usando um chapéu ou um lenço;
•    Vista roupas leves de algodão e de cores claras. As cores escuras absorvem maior quantidade de calor;
•    Evite usar vestuário com fibras sintéticas ou lã. Provocam transpiração, podendo levar à desidratação;
•    Evite fazer exercício físico ou outras actividades que exijam muito esforço;
•    Evite estar de pé durante muito tempo, especialmente em filas e ao sol;
•    Se tiver oportunidade, desloque-se nas horas de maior calor para locais com ar condicionado;
•    Um pequeno duche de água tépida arrefece o seu corpo rapidamente aumentando o seu conforto. Se o seu corpo estiver muito quente não deve tomar banho com água muito fria.


Quando Viajar:

•    Viaje de preferência a horas de menos calor ou à noite;
•    Quando viajar de automóvel faça-o por períodos curtos. Se tiver que fazer grandes viagens, leve consigo água ou outros líquidos não alcoólicos e não açucarados em quantidades suficientes;
•    Proteja os passageiros da exposição ao sol, cobrindo as janelas com telas apropriadas, que não dificultem ou prejudiquem a condução;
•    Nunca viaje com as janelas totalmente fechadas a não ser que tenha ar condicionado no seu carro;
•    Se viajar com crianças mantenha-as o mais arejado possível, vestindo-lhes o mínimo de roupa e dando-lhes frequentemente água a beber;
•    Se viajar com bebés tenha em atenção que o leite é a sua refeição normal e que no intervalo entre as mamadas devem beber bastante água;
•    Tenha atenção aos idosos que viajam consigo. Não devem vestir de negro nem roupas de fibra sintética e devem também beber um suplemento de água;
•    Coma poucas quantidades de cada vez e várias vezes ao dia;
•    As refeições devem ser ligeiras, sopas frias ou tépidas, saladas, grelhados, comidas com pouca gordura e pouco condimentadas, acompanhadas de preferência com água, chá fraco ou outros líquidos não açucarados;
•    Não beba bebidas alcoólicas. Num organismo desidratado são absorvidas rapidamente podendo levar a estados de embriaguez com maior facilidade.


Na praia:

Vá à praia apenas nas primeiras horas da manhã (até às 11 horas) ou ao fim da tarde (depois das 17 horas). Mantenha-se à sombra, use chapéu, óculos escuros e cremes de protecção solar.
Uma exposição ao sol prolongada leva a queimaduras de pele que só por si aumentam a perda de líquidos.
Não se esqueça que os bebés e os idosos são especialmente sensíveis às ondas de calor...

Seca

Medidas de minimização dos efeitos das secas

A prevenção e a minimização dos efeitos de uma seca passam também pela alteração do comportamento individual de cada pessoa no que respeita ao consumo de água antes e durante a evolução de uma seca. A água é um recurso natural limitado e essencial à vida.
A sua conservação deve merecer-nos, em qualquer altura, certos cuidados. Medidas simples e adequadas contribuem para uma gestão equilibrada do consumo de água:


Canalização

•    Não deixe as torneiras a pingar;
•    Mantenha em bom estado a canalização de torneiras, autoclismo e máquinas (mande arranjá-los de perderem água);
•    Se um cano rebentar chame de imediato um canalizador;
•    Se detectar uma fuga de água na via pública (rua ou jardim avise a Câmara Municipal ou a Electra).


Casa de banho

•    Evite os banhos de emersão;
•    Tome duches rápidos e não deixe a água a correr enquanto de ensaboa;
•    Feche a torneira enquanto escova os dentes ou se barbeia;
•    Descarregue o autoclismo só quando for necessário;
•    Reduza a quantidade de água por cada descarga do autoclismo. Para tal coloque no depósito uma garrafa de plástico cheia de água ou opte por um autoclismo com depósito duplo.


Cozinha

•    Na compra de electrodomésticos opte pelos de menor consumo de água e electricidade;
•    Utilize as máquinas de lavar roupa e loiça com a carga completa. Uma máquina cheia consome menos água do que duas com a carga incompleta;
•    Quando tiver pouca quantidade de roupa lave-a à mão. Aproveite alguma água para lavar o chão;
•    Se lavar a loiça manualmente utilize a bacia do lava-loiça ou um alguidar. Evite lavá-la em água corrente mas, se o fizer, não deixe a água a correr continuamente. Antes da lavagem pode limpar a loiça com um papel e deixa-la "de molho".


Jardim

•    Nunca regue o jardim nas horas de maior calor;
•    Se regar de manhã cedo ou à noite poupa a água que se perde com o calor do sol;
•    Se possível faça a rega com água de poços e ribeiros, recupere a água da chuva ou reutilize a de uso doméstico (ex: de lavagem de fruta e legumes);
•    Há plantas que necessitam de pouca água, evite rega-las sem necessidade;
•    Opte pelo cultivo de plantas típicas da região porque estão melhor adaptadas ao clima;
•    Cubra a terra do jardim com folhas de outras plantas ou outro material apropriado. Desta forma diminui-se o contacto directo da luz solar com o solo, conservando a humidade da terra;
•    Se tiver piscina cubra-a quando não estiver a ser utilizada e limpe o filtro frequentemente


Lavagem do carro

•    Reduza o consumo de água na lavagem do carro. Procure lavá-lo com menos frequência;
•    Opte por baldes de água; evite a utilização da mangueira mas, caso o faça, feche a torneira quando não estiver a utilizar a água.


O que fazer durante a seca

•    Redobre os cuidados com a poupança de água;
•    A seca pode dever-se à ausência ou diminuição de chuva ou, então, à dificuldade ou impossibilidade de fazer chegar a água às nossas casas, campos agrícolas ou indústria;
•    Não encha tanques ou piscinas, pode estar a gastar água necessária a outras pessoas;
•    Feche ligeiramente as torneiras de segurança de modo a diminuir o caudal de água;
•    Em caso de cortes de fornecimento de água armazene só a quantidade que vai necessitar. Se lhe sobrar água não a deite fora, reutilize-a;
•    Durante uma seca a qualidade da água pode deteriorar-se. Em caso de dúvida ferva-a durante dez minutos antes de a beber;
•    Controle os seus gastos através de uma leitura regular do contador e da factura da água.

 

Prevenção e Minimização dos efeitos das secas. A monitorização de secas baseia-se no acompanhamento da progressão do fenómeno, com base num sistema de informação de recursos hídricos, que permite conhecer em cada instante a gravidade da seca.

É realizada através da análise de variáveis hidrometeorológicas, como a precipitação, o escoamento, a água no solo, o volume de água armazenado nos aquíferos, a evaporação e a evapotranspiração.